Pesquisar este blog

O Maravilhoso, Fascinante e Fantástico Mundo do Egoshi

Seja Bem-Vindo! Seja Bem-Vinda!



quarta-feira, 11 de agosto de 2010

SEJA SEMPRE UM FERNÃO CAPELO GAIVOTA
– Mensagem do Egoshi para você que quer ter sucesso e ser feliz –
(Baseado na A História de Fernão Capelo Gaivota de Richard Bach)

A maior parte das gaivotas não se preocupava em aprender mais do que os simples fatos do vôo – como ir da costa à comida e voltar. Para a maioria, o importante não é voar, mas comer. Para Fernão Capelo Gaivota, contudo, o importante não era só comer, mas sobretudo voar. Antes de tudo o mais, Fernão Capelo Gaivota adorava voar. Voar cada vez mais alto.

Até os próprios pais se sentiam desanimados ao vê-lo passar dias inteiros fazendo centenas de vôos rasantes, sozinho.

– Por que é que lhe custa tanto ser como o resto do bando? – lamentava-se a ele, sua mãe.

– Não esqueça que a razão por que você voa é comer – tentava conformá-lo, seu pai.

Fernão baixou a cabeça, obediente. E nos dias seguintes, tentou se comportar como outras gaivotas. Mas não conseguiu.

– Não faz sentido, pensava ele, largando deliberadamente uma anchova suculenta que lhe custara bastante a ganhar, aos pés de uma velha gaivota esfomeada, que o acossava. Não faz sentido... eu podia ganhar todo este tempo aprendendo a voar. Há tanto que aprender!

Não tardou muito que Fernão Capelo Gaivota voltasse a pairar no céu, sozinho, longínquo, esfomeado, feliz, aprendendo. O tema era velocidade. Ao cabo de uma semana de prática, conseguira aprender mais sobre velocidade do que a gaivota viva mais rápida.

A trezentos metros de altura, batendo as asas com toda a força do que era capaz, lançou-se numa vertiginosa picada direta às ondas e aprendeu por que razão gaivotas não fazem vertiginosos mergulhos picados. Em escassos seis segundos passou a mover-se a cento e vinte quilômetros por hora, velocidade que desequilibra as asas no arranque para a subida. Dez vezes tentou e dez vezes alcançou os cento e vinte quilômetros por hora, acabando sempre numa agitada massa de penas descontroladas que ia esmagar-se na água.... todo vergonhosamente desajeitado.....

Tentou outra vez a seiscentos metros, lançando-se no mergulho com o bico espetado, as asas bem abertas e firmes, a partir do momento em que ultrapassou os cento e vinte quilômetros por hora. Necessitou de uma tremenda força, e obteve resultado. Em dez segundos transformou-se numa mancha no céu, a cento e vinte quilômetros por hora. Fernão Capelo Gaivota acabava de estabelecer um recorde mundial de velocidade para gaivotas! Mas a vitória durou pouco. Fernão Capelo Gaivota explodiu à meia altura, e esmagou-se num mar duro como um tijolo. Deu dó, de tão sem graça que ficou....

Mas não desistiu. Reanimou-se. Levantou-se e continuou pensando: eu sou capaz de cada vez mais! Para tanto, é necessário enfrentar o mundo, a vida e tudo o mais! Dizia sempre: Ora, bolas, que me importa meu mau jeito! Que me importam as críticas e os gracejos dos outros! Que vão à m...!

Na sua mente latejava a vitória, custe o que custar! Velocidade máxima! Uma gaivota a trezentos e vinte quilômetros por hora! Nesse momento, nasceu uma nova era na vida de Fernão Capelo Gaivota. Voando para a sua solitária zona de treino, encolhendo as asas para um mergulho de dois mil e quatrocentos metros, dispôs-se imediatamente a descobrir como virar. E Fernão Capelo Gaivota fez as primeiras acrobacias aéreas de uma gaivota viva. Nesse dia não perdeu tempo conversando com outras gaivotas e voou até depois do pôr-do-sol. Descobriu o loop, o slow roll, o point roll, o inverted spin, o gull bunt, o pinwheel e todos os tipos de acrobacia aeronáutica.

Como vale a pena viver por vôos mais altos! Em vez de monótona labuta de procurar peixes junto a barcos de pesca, você pode buscar uma razão maior para viver!

Você pode encontrar-se como uma criatura fantástica, fascinante e maravilhosa!
Você pode ser livre!
Você pode aprender a voar!

Você pode voar, voar e voar! A voar sempre mais alto e vencer!

Você pode vencer a si mesmo!

Você pode ser feliz!

Seja feliz!

4 comentários:

Ana Carolina Conicelli Murer disse...

É isso aí, Egoshi! Devemos buscar sempre ultrapassar os nossos limites, por mais que possa de vez em quando doer, mas a satisfação com certeza será maior do que a dor! Gostei muito e estou esperando o próximo! Beijos da Carol (sua aluna).

RICARDO BARCELOS disse...

Esta mensagem veio em boa hora....

Estou encarando uma nova etapa na minha vida, e com certeza, terei que ter o mesmo "Afinco" do nosso amigo F C Gaivota.

Abraço,

Ricardo Barcelos (Aluno)

EgoshiBlogger disse...

É isso aí, Carol - grande filósofa e sábia que diz que a satisfação será maior que a dor!

Matou, Carol! Nesta vida de dor, temos que buscar prazer sempre maior!

Bjs

Egoshi

EgoshiBlogger disse...

Ricardo, Boa Nova para você!

Um forte abraço!

Egoshi